Professores de Matemática querem revisão urgente do programa no ensino básico

2016080211

Depois de conhecidos os resultados das provas de aferição, a Associação de Professores de Matemática fala de um programa que afasta os alunos da disciplina.

A presidente da Associação de Professores de Matemática considera que é urgente rever o programa da disciplina no ensino básico.

Na segunda-feira, os resultados das provas de aferição revelaram que os alunos perdem a capacidade de responder a problemas de Matemática ao longo do ensino básico, entre o 5.º e o 9.º anos.

Ouvida pela TSF, a presidente da Associação de Professores de Matemática diz que o programa é uma das principais causas para o afastamento dos alunos em relação a esta disciplina. Lurdes Figueiral diz que pode ter consequências mais graves. “Vamos ver como é que é o movimento da escolha da Matemática A no ensino secundário”, diz.

Lurdes Figueiral diz que o programa de Matemática está a afastar os alunos da disciplina
Para a representante da associação, os dados das provas de aferição são alarmantes. “É necessário ter uma atenção especial ao ensino básico, de 9 anos, que é igual para todos”, defende Lurdes Figueiral, “se se perde esta batalha fica ameaçada a preparação do futuro destas crianças e destes jovens”.

A presidente da Associação de Professores de Matemática fala em dados preocupantes
Alunos perdem capacidade de responder a problemas de Matemática ao longo do ensino básico

De acordo com os dados revelados esta segunda-feira pelo Instituto de Avaliação Educativa (IAVE), muitos alunos deixam de responder a problemas de Matemática.

Se no 2.º ano de escolaridade a maioria dos alunos consegue responder sem dificuldades aos domínios de Números e Operações (55,4%) e de Geometria e Medida (54,6%), no 5.º ano o sucesso a matemática ficou ao alcance de pouco mais de 20% dos alunos.

O jornalista António Pinto Rodrigues recorda as principais conclusões das provas de aferição
Este ano, em que se aplicou um regime transitório para adaptação ao novo modelo de avaliação do ensino básico, apenas 57% das escolas decidiram aplicar as provas de aferição do 2.º, 5.º e 8.º anos. A partir do próximo ano letivo, as provas passam a ser de realização obrigatória e as disciplinas em avaliação estão já definidas no calendário escolar.

Fonte : TSF