​Vila Franca de Xira quer fim das portagens na A1

2016032810Autarquia também defende a necessidade de serem criados mais nós de ligação à auto-estrada.

O presidente da Câmara de Vila Franca de Xira defende o fim das portagens no concelho, servido pela A1, e a construção de mais nós de ligação à auto-estrada.

As declarações de Alberto Mesquita (PS), surgem uma semana depois de a CDU concelhia ter lançado uma petição para exigir a abolição de portagens no concelho e a construção de ligações das freguesias do Sobralinho e de Vialonga com a A1.

“Obviamente que a Câmara concorda. A partir de Aveiras até Lisboa é mais uma via rápida do que uma auto-estrada. Por isso, acho que é um absurdo pagar portagens”, afirmou o autarca socialista à agência Lusa.

Actualmente, o concelho de Vila Franca de Xira, no distrito de Lisboa, apresenta dois troços da A1, um deles não portajado (Lisboa – Alverca) e outro pago (Alverca – Vila Franca de Xira), situação contestada pela CDU.

“Acreditamos que a abolição das portagens traria benefícios económicos e ambientais. Iria descongestionar a Estrada Nacional 10”, argumentou.

Além da abolição das portagens no concelho, Alberto Mesquita disse concordar, também, com a necessidade de serem criados mais nós de ligação à auto-estrada.

“É uma questão de investimento e de decisão política, porque espaço há”, ironizou.

Nesse sentido, o autarca explicou que o executivo tem tentado sensibilizar todas as entidades, mas queixou-se das dificuldades de relacionamento com a empresa Infraestruturas de Portugal.

“Quando era com as Estradas de Portugal nós tínhamos um interlocutor direto, mas desde que houve a fusão a relação complicou-se. Neste momento não existe diálogo”, lamentou.

A Infraestruturas de Portugal (IP) é a empresa pública que resulta da fusão entre a Rede Ferroviária Nacional (REFER) e a Estradas de Portugal (EP) destinada a gerir e administrar as infraestruturas rodoviárias e ferroviárias em Portugal.

Fonte : RR