Veja quais são as escolas que inflacionam as notas

20150808_01Ministério da Educação torna pública base de dados que permite comparar resultados de todas as secundárias desde 2009/2010. Há cinco anos que 51 dão notas superiores aos exames.

Um terço das escolas secundárias deram notas mais altas aos seus alunos do que os resultados que estes tiveram nos exames nacionais, no ano passado. Ao longo dos últimos cinco anos, foram 51 as que inflacionaram as notas. Do lado oposto registaram-se 176 escolas, que nas provas de 2014 deram notas abaixo dos exames. Em cinco anos foram 52. Saiba quais são na nova base de dados que o Ministério da Educação disponibiliza a partir de hoje. Para fazer uma análise detalhada, siga este link e descarregue as folhas Excel disponibilizadas.

Até aqui apenas se podiam comparar os resultados dos exames nacionais (que permitem construir os rankings) e a nota interna. O Ministério da Educação deixa agora disponível para todos (pais, professores e público em geral) quais as escolas que dão notas acima ou abaixo dos resultados nos exames e até a evolução média dos seus alunos entre os exames do 9.º ano e do 12.º ano. Este dado permite perceber o impacto da escola no desempenho dos estudantes e deixa de haver a desculpa de que os exames do secundário são fracos porque os alunos já não tinham boas notas, já que são valorizados os casos em que melhoram as notas, seja dentro das positivas ou negativas.

No caso das inflações de notas internas são os privados dominam, enquanto no outro extremo são as públicas a dar notas mais baixas do que as alcançadas nos exames. A questão é que as situações de desalinhamento podem levar a que os alunos sejam beneficiados ou prejudicados na candidatura a um curso superior. Aliás estes desvios de inflação chamaram a atenção do Ministério da Educação e Ciência (MEC) que investigou dez escolas onde a discrepância era maior e reiterada, o que deu origem a quatro inquéritos, que ainda decorrem.

Fonte : DN