Inspeção Geral de Educação ordena encerramento de escola na Amadora

20150820_20A decisão foi tomada depois de se ter descoberto que o estabelecimento de ensino – a “Escola da Paula” na Amadora – funcionava de forma ilegal. O caso tem origem numa denúncia de pedofilia.

Três crianças com 5 e 6 anos acusam o marido da diretora da escola de as ter beijado. Foi detido pela Polícia Judiciária.

Desde que os factos foram tornados públicos que vários pais decidiram retirar os filhos do estabelecimento que, para além do berçário, creche, jardim de infância, ministrava também o 1º ciclo de ensino.

Quando alguns destes pais se dirigiram a outras escolas para aí inscreverem os filhos no 2º ano foram informados que não o poderiam fazer porque a “Escola da Paula” estava a funcionar de forma ilegal. Na prática, estas crianças seriam obrigadas a repetir o 1º ano. Outro problema com que os encarregados de educação se depararam foi a recusa da escola, agora encerrada, em entregar toda a documentação referente ao percurso escolar dos alunos.

Contactado pela TSF o Ministério da Educação esclarece que a situação destas crianças está a ser analisada e que estes alunos, caso os pais assim queiram, terão sempre lugar na rede pública de ensino, independentemente dos problemas em torno da documentação.

Por esclarecer, o facto de só agora ter sido detetada a situação de ilegalidade de uma escola que , segundo o Correio da Manhã está de portas abertas há quase 20 anos, que tipo de ilegalidades estiveram na base da decisão de encerrar o estabelecimento e quantos alunos frequentaram o 1º ciclo de ensino ali ministrado.

A TSF já pediu estes esclarecimentos ao Ministério da Educação. Aguarda resposta.

Fonte : TSF