Colocação de docentes deixa 22 mil de fora

20150830_01_01Sindicato dos professores fala em 35 mil professores sem emprego.

Mais de 22 mil professores, que concorreram a um contrato nas escolas da rede pública, ficaram sem colocação, de acordo com o Ministério da Educação (ME), que publicou ontem as listas. Dos 25 296 candidatos a contratação inicial, foram colocados 2833.

De fora ficaram, precisamente, 22 463. Para alguns dos professores, a situação não é nova. “É sempre assim todos os anos.

Nunca há certezas de ficar colocada”, diz ao CM Ana Beatriz Vinhais, 26 anos, professora de Educação Musical, sem colocação. Quanto aos docentes de carreira, do total de 13 130 que entraram no concurso da chamada mobilidade interna, foram colocados 11936.

Ainda de acordo com os números avançados ontem pelo ministério, este ano foram contratados mais 526 professores. Já o número de professores sem horário é, este ano, de 1194.

Segundo Mário Nogueira, da Fenprof, há atualmente 35 mil professores sem trabalho e o número de horários zero “aumentou em 30,2%”, comparando com igual período de 2014. Mário Nogueira considera que houve situações que deveriam ter levado à colocação de mais docentes, entre as quais “o aumento da escolaridade obrigatória para 12 anos, as cerca de duas mil rescisões e as aposentações”.

Por isso, sublinha, estes números mostram “bem o que foi a destruição ao nível de postos de trabalho dos professores”.

Fonte : CM