Como lidar com alguém que tem a Síndrome de Asperger?

A Síndrome de Asperger é uma síndrome de espectro autista, onde as pessoas tem habilidades incomuns e interesses diferenciados. 

20140808_sindrome_asperger

Segundo a Wikipedia e a Revista Escola – Abril, a Síndrome de Asperger (SA) é “uma síndrome do espectro autista, diferenciando-se do mesmo por não comportar nenhum atraso ou retardo global no desenvolvimento cognitivo ou da linguagem do indivíduo”.

A SA é um transtorno global de desenvolvimento (TGD), resultante de uma desordem genética e é mais comum em homens.

Os portadores da síndrome costumam escolher temas de interesse, que podem ser únicos por longos períodos de tempo, falando repetidamente o mesmo assunto. Eles também apresentam habilidades incomuns, como memorização de sequências matemáticas ou de mapas.
As pessoas com Síndrome de Asperger têm algumas características diferenciadas, tanto positivas quanto negativas. Veja a seguir.

  • Déficits no desenvolvimento motor.
  • Podem ter dificuldades para segurar o lápis para escrever.
  • Estruturam seu pensamento de forma concreta.
  • Não conseguem interpretar metáforas e ironias.
  • Têm dificuldade em sair da rotina.
  • Não sabem usar movimentos corporais e gestos na comunicação não verbal.
  • Falta de interesse espontâneo em dividir experiências com outros.
  • Maneirismos motores estereotipados e repetitivos.
  • Preocupação com um ou mais padrões de interesse restritos e estereotipados.
  • Respostas socialmente inapropriadas.
  • Expressões faciais limitadas ou impróprias.
  • Olhar fixo peculiar.
  • Interesses limitados.
  • Medo ou angústia devido a sons como os de aparelhos elétricos.
  • Rápidas coceiras sobre a pele ou sobre a cabeça.
  • Tendência a agitar-se ou contorcer-se quando está excitado ou angustiado.
  • Falta de sensibilidade a níveis baixos de dor.
  • Gestos, espasmos ou tiques faciais não usuais.
  • Custa-lhes vestir-se, desabotoar os botões ou fazer laço nos cordões do tênis.

20140808_sindrome_asperger3

Como lidar com a situação?

Pode-se lidar com a criança ou jovem portador da SA em casa e na escola, e a forma mais indicada e recomendada é tomar as mesmas providências como se faz com crianças e jovens autistas. Observar e respeitar seu tempo de aprendizagem, estimulando comunicação e participação nas atividades com os colegas e familiares.

Observar os talentos de cada um como falamos neste artigo, ajuda a criança a desenvolver-se em áreas que demonstra mais interesse.

Fazer o tratamento como prescrito pelo médico e encorajar sem forçar outras atividades pedagógicas, de forma a inserir novos conhecimentos como contar, nomear cores.

O mais importante é estimular o auto-respeito e auto-conhecimento, de forma a ser o mais independente que puder.

 

Fonte : Familia.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.